CAIXA AMPLIA RECURSOS PARA LINHA DE CRÉDITO COM IMÓVEL COMO GARANTIA

30 de julho de 2020

Clientes poderão contratar o crédito a partir de 3 de agosto em três opções de atualização do juro do empréstimo: pela TR+, IPCA ou taxa fixa

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (30) que irá ampliar os recursos destinados a empréstimos feitos por meio da linha de crédito com garantia do imóvel, ou home equity, modalidade de crédito pessoal em que o cliente usa o próprio imóvel como garantia real do empréstimo.

Para expandir as operações dessa modalidade de crédito, o banco lançou a linha Real Fácil Caixa, que tem juros inferiores aos praticados anteriormente nesse tipo de empréstimo. A opção estará disponível a partir da próxima segunda-feira (3) para clientes ou não do banco que tenham imóveis livres de qualquer tipo de ônus.

Pedro Guimarães, presidente da Caixa, explicou em coletiva de imprensa virtual, que essa modalidade de crédito permite a redução nas taxas de juros porque o bem dado como contrapartida na operação reduz o risco do banco. "Há uma garantia real mais sólida do pagamento da dívida, no caso o imóvel, que normalmente é um bem muito relevante para qualquer família".

A Caixa vai oferecer a atualização dos juros em três modalidades: uma taxa fixa mais a Taxa Referencial (TR), que atualmente está zerada; juros atrelados à inflação (IPCA); ou uma taxa fixa, que não será corrigida pela inflação ou TR no prazo contratado.

O sistema de amortização fica a critério do cliente, que pode escolher entre Sistema de Amortização Constante (SAC), cujas parcelas iniciais são mais altas e a prestação vai caindo ao longo do tempo, ou Sistema Francês de Amortização (Price), que tem parcelas fixas.

Hoje, o Braisl possui cerca de R$ 11 bilhões em financiamentos de home equity, sendo que a Caixa é responsável por pouco mais de 30% desse volume, equivalem a R$ 3,5 Bilhões.

A expectativa do banco é aumentar o volume de empréstimos em mais de dez vezes, e chegar a R$ 40 bilhões nos próximos anos.

No site do banco é possível fazer simulações, mas a contratação do empréstimo deve ser feita nas agências do banco presencialmente ou nos Correspondentes Caixa Aqui.

CUIDADOS

Ainda que as linhas de crédito que oferecem um imóvel com garantia tenham taxas reduzidas, já que apresentam menor risco para o banco, é importante reforçar que, em caso de inadimplência, o tomador pode perder o imóvel.

Por isso, nesse tipo de empréstimo, a recomendação de avaliar com cuidado a capacidade de pagamento da dívida antes de contrair o crédito é ainda mais crucial.

Dario Ferraço, sócio da SF Consultoria Imobiliária, reforça que no caso do crédito com garantia, assim como um crédito imobiliário para financiamento de imóveis, o banco pode tomar o imóvel no caso de não pagamento do proprietário, mesmo sendo o único imóvel da família.

"Legalmente, o banco já se resguarda com cláusulas que o cliente dá ciência de que mesmo sendo o único bem e a residência da família, ele está colocando o imóvel como garantia daquele crédito e está passível das sanções legais numa eventual inadimplência" diz Ferraço.

Para maiores informações a cerca dessas modalidades de empréstimos, acesse o site da Caixa ou procure uma agência de atendimento.

Fonte: infomoney.com.br; Por: Giovanna Sutto; Editado.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA LANÇA SERVIÇO DIGITAL PARA A OBTENÇÃO DE CRÉDITO FUNDIÁRIO

28 de julho de 2020

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo (SAF), lançou na última segunda-feira (27) um novo serviço, totalmente digital, para obtenção de crédito através do Terra Brasil - Programa Nacional de Crédito Fundiário. A nova plataforma pode ser acessada pelo portal https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/agricultura-familiar/credito

O objetivo é facilitar e agilizar o acesso ao crédido rural para aquisição de terras e infraestruturas básicas e produtivas, por meio do Terra Brasil, com recursos do Fundo de Terras do Governo Federal.

A estimativa da SAF é que o serviço permita uma redução do prazo médio de tramitação das propostas de financiamento de 24 meses para aproximadamente seis meses. O fluxo será reduzido de 12 para 6 fases de atendimento divididas da seguinte forma: Solicitação; Análise Estadual; Análise Federal; Análise Financeira; Ajustes de correções e pendências; e Finalização.

"Se trata de mais uma etapa importante do trabalho que estamos realizando desde o ínicio do governo com foco no aprimoramento do Programa de Crédito Fundiário. O objetivo é desburocratizar e ampliar o acesso dos agricultores familiares ao crédito fundiário, qualificando o processo de tramitação das contratações e tornando mais célere a concessão de financiamento aos trabalhadores rurais", destaca o secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo, Fernando Schwanke.

O serviço digital dispensa a necessidade de entrega de documentação física ao governo federal. Todos os documentos serão digitalizados, eliminando os gastos com postagens e correio. A tramitação será realizada sem o comparecimento presencial. O envio do projeto técnico de financiamento e toda a documentação do condidato a beneficiário, do vendedor e do imóvel rural, se dará por meio da plataforma digital, desde o pedido inicial no município até a liberação do contrato de financiamento na agência do banco indicado. A parte documental física permanecerá no município para tratativas do interessado com os cartórios de registros de imóveis competentes.

O serviço digital "Obter Crédito - Terra Brasil", também promoverá uma maior agilidade no processo de avaliação da elegibilidade do candidato e do imóvel rural, assim como disponibilizará, desde o ínicio, informações de preços referenciais para aquisição de terra no Brasil, na região de interesse do candidato. Essas informações permitirão maior agilidade na elaboração do projeto técnico, com viabilidade técnica econômica e financeira do imóvel rural, e a celeridade na apuração pelos órgãos competentes.

Além disso, a nova plataforma garante o acesso à informação de forma transparente, para o acompanhamento das estapas de análises, aprovações, envio de documentos, correção de pendências e solicitações de informações complementares, que serão automaticamente informados no portal para o técnico responsável, como encaminhadas por e-mail e por mensagem para o celular (SMS), para o agricultor e produtor rural interessado.

O serviço digital "Obter de Crédito - Terra Brasil" já está disponível e o acesso deve ser realizado por meio das empresas de Assistência Técnicas e Extenção Rural (Ater), tanto públicas como privadas, que comprovem a certificação CET -  Certificar Entidades e Técnicos para concessão de crédito fundiário. Portanto, o cidadão interessado em obter crédito para compra de propriedade rural deve procural a empresa Ater, e ou, o Sindicato Rural do seu município para receber orinteções sobre o acesso ao crédito rural com recursos do Fundo de Terras, por meio do Terra Brasil.

A nova plataforma está alinhada com a estratégia do Governo Digital para o período de 2020 a 2022, iniciativa federal cujo foco é a transformação do governo, por meio de tecnologias digitais, para oferecer políticas públicas e serviços ao cidadão com melhor qualidade, de um jeito mais simples, transparente e acessível a qualquer hora e lugar, trazendo menores custos e maior eficiência para toda sociedade.

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

CAIXA AUTORIZA PAUSA NO FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO POR DOIS MESES

27 de julho de 2020

Medida entra em vigor a partir desta segunda-feira (27), saiba quem pode e como solicitar a pausa

A partir de hoje (27), é possivel pedir mais dois meses de pausa no pagamento das prestações do crédito imobiliário contratado com a caixa Econômica Federal. A medida vale para financiamentos de imóveis do Programa Minha Casa Minha Vida, com faixas 1,5,2 e 3. A pausa também pode ser solicitada por clientes do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE).

Segundo a Caixa, os clientes pessoas física e jurídica que já tiveram a pausa temporária de 120 dias concluída poderão prorrogar o prazo por mais 60 dias. Quem ainda não optou por essa alternativa também poderá solicitar a pausa de 180 dias. 

Para empresas, a opção de pausa é válida para financiamentos à produção de empreendimentos e para financiamentos de aquisição e construção de imóveis comerciais (modalidade individual). As opções de pagamento parcial dos encargos ou carência também serão estendidas para até 180 dias, porém poderão ser utilizadas em conjunto com a pausa.

A Caixa lembra que, durante o período de pausa, o contrato não está isento de incidência de juros remuneratórios, seguros e taxas. Os valores dos encargos pausados são acrescidos ao saldo devedor do contrato e diluídos no prazo remanescente. A taxa de juros e o prazo contratados inicialmente não sofrem alteração.

QUEM PODE SOLICITAR?

Clientes pessoa física podem solicitar a pausa de 180 dias ou a prorrogação do período de pausa por mais 60 dias para contratos já atendidos pelo Aplicativo Habitação Caixa, pelos telefones 3004.1105 e 0800 726 0505, ou de forma autimatizada pelo 0800 726 8068, opção 2 - 4 - 2.

Os clientes pessoa jurídica podem solicitar a pausa para contratos de aquisição e construção de imóveis comerciais pelo telefone 0800 726 8068, opção 2 - 4, ou com auxílio do gernete de relacionamento de sua agência. Para contratos de financiamento à produção de empreendimentos, a solicitação pode ser realizada somente por meio do gerente de relacionamento, que deve ser acionado preferencialmente por meio eletrônico.

CANAIS DE ATENDIMENTO DA CEF:

  • App Habitação Caixa: disponível para os sitemas operacionais Android e IOS, pode ser baixado gratuitamente nas lojas GooglePlay ou AppStore.
  • Telefones 300-1105 e 0800 726 0505, opção 7: disponível de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h.
  • Telefone 0800 726 8068, opções 2 - 4: disponível de segunda a sexta-feira, em qualquer horário, e aos sábados, das 10h às 16h.
Fonte: Site Agência Brasil; Por Kelly Oliveira.